segunda-feira, 25 de julho de 2016

Estava Tudo Lá

Ele apareceu duas vezes, num mesmo dia.
O que era incomum, já havia um tempo.
A ausência já se fazia esquecimento...
Mas... Naquele dia, Estava tudo lá.

Ela buscou saber o que o fazia dele presente outra vez.
Por um instante, pensou que ele tivesse mudado sua rotina repentinamente.

Mas não... Estava tudo lá
Exatamente igual
Exatamente como ela não desejava que estivesse
... Inclusive o Amor que ela sentia por ele.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Efeitos de Uma Viagem


Acabei de retornar da minha viagem de férias para Fernando de Noronha (PE-Brasil) e tenho algumas coisas para contar. Já estive em muitos lugares, por trabalho ou lazer. Ano passado, fiz uma das viagens mais lindas da minha vida, PARIS. Mas o que senti nessa viagem a Noronha, não senti em nenhuma outra. Primeiro porque aquele lugar possui beleza e energia únicas. Depois porque tive a companhia de um dos meus irmãos que, para mim, valem ouro. Mas não foi só isso... foram tantas outras coisas. Enfrentei meus medos, minha alergia a insetos, caminhei no barro, na chuva, fiz trilhas difíceis, subi, desci, mergulhei com tartarugas, tubarão e arraias. Golfinhos guiaram minha embarcação. Dancei forró, conheci pessoas, falei outra língua. E, para mim, foi tudo muito intenso porque a maiorias dessas coisas eu fiz pela primeira vez.
É como se eu tivesse saído do lugar comum, literalmente. Como se eu tivesse aberto meus olhos para as coisas lindas da vida. Como se eu tivesse me desprendido daquilo que, a tempos, me prendia. De coisas que eu imaginava que eram as mais importantes pra mim e que, na verdade, não são.
Não assisti TV, quase não ouvi música. Tudo diferente da rotina.
Eu e meu irmão tivemos um momento mágico quando chegamos ao mirante dos Dois Irmãos. Um choro incontido, emoção genuína por tamanha beleza daquele lugar. Coisas que marcam pra toda vida!
Agora percebo o quanto a gente se perde, as vezes, dos nossos propósitos. Como a gente gasta energia com coisas improdutivas. Com pessoas erradas. Com aborrecimentos inúteis. É preciso distanciamento das coisas todas pra gente reencontrar o prumo.
Em um dos momentos de silêncio na praia me dei conta de que é possível que minha vida não seja como eu, e as pessoas a minha volta esperam que seja. Talvez eu não case, talvez eu não tenha filhos, talvez eu mude de emprego, de cidade. Mas nada disso significa que a minha vida não seja a melhor que eu puder ter. Eu vou parar de olhar para o que está por vir e vou olhar com atenção para o que tenho agora.  Retomei minha alma livre. Relembrei que existe amor em outras coisas. Que tem muito mais formas de ser feliz do que viver dentro das convenções estabelecidas pelos outros.
Um lugar transformou minha forma de enxergar as coisas. Me devolveu a percepção de que precisamos de muito menos do que imaginamos. De que somos donos de uma riqueza sem fim. Que se tivermos olhos, ouvidos, tato e coração já é o bastante.
 
Um lugar transformou a minha vida!