terça-feira, 30 de março de 2010

Pensar é Amar

 

Peço respeitosa licença ao Poeta Alberto Caeiro para mudar o “gênero” do poema que transcrevo. Por um motivo óbvio: identificação!

“Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dele,

E vendo-o sempre de maneiras diferentes do que o encontro a ele.

Faço pensamentos com a recordação do que ele é quando me fala,

E em cada pensamento ele varia de acordo com a sua semelhança.

Amar é pensar.

E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nele.

Não sei bem o que quero, mesmo dele, e eu não penso senão nele.

Tenho uma grande distração animada.

Quando desejo encontra-lo  quase que prefiro não o encontrar,

Para não ter que o deixar depois.

Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero. Quero só…

…pensar nele.

Não peço nada a ninguém, nem a ele, senão pensar.”

Um comentário:

Tatiana disse...

Mê, tu lê os meus pensamentos??
Ultimamente parece que tu tens postado coisas que saem da minha cabeça.hahahahaha.Bjs